O papa Francisco disse hoje que a Internet não é suficiente para anunciar o evangelho e que a evangelização precisa de contato direto com pessoas reais, «às vezes feridas e magoadas», para lhes oferecer «verdadeiras razões de esperança».

Num encontro com o Conselho Pontifício para os Laicos, que durante os últimos dias realizaram um simpósio sobre o tema, o papa classificou a internet como uma «realidade difusa, complexa e em contínua evolução» e propõe «de novo» o debate sobre a relação entre a fé e a cultura.

«Entre as possibilidades que oferece a comunicação digital, a mais importante é a da evangelização [mas], o anúncio [do evangelho] baseia-se em relações humanas autênticas e diretas para desembocar num encontro pessoal com o Senhor», assegurou o pontífice.