A pequena ilha que emergiu de uma erupção vulcânica há quatro meses foi definitivamente engolida pela sua vizinha, maior, gerando uma «nova ilha» que tem um quilómetro de extensão. E continua a crescer.

O ponto mais alto da nova ilha é agora de 60 metros, três vezes mais do que em dezembro. E imagens captadas e divulgadas pelo Observatório da Terra da NASA mostram que a erupção continua ativa, pelo que a terra vai continuar a mudar.

Quando emergiu a nova ilha, «niijima» em japonês, estava a 500 metros da vizinha Nishino-shima, desabitada e que fica a 130 quilómetros da ilha povoada mais próxima. O crescimento de Niijima aproximou-as num período muito curto de tempo: em dezembro a Guarda Costeira Japonesa já indicava que elas estavam a juntar-se.

Isto está a passar-se no Pacífico, a cerca de 1000 km de Tóquio, nas Ilhas Bonin.