O Embaixador de Portugal em Otava, a capital canadiana, confirmou, em declarações à TVI24, que há portugueses e luso-canadianos que são funcionários do parlamento e dos ministérios, mas que não tem conhecimento de que haja algum português ferido.

«Há portugueses e luso-canadianos que trabalham no parlamento e nos ministérios federais. No entanto, não tenho qualquer conhecimento de que algo tenha ocorrido aos nossos compatriotas», disse Jorge Moreira da Cunha.

A capital do Canadá foi esta quarta-feira alvo de três tiroteios. Há duas mortes confirmadas: um atirador e um soldado que fazia sentinela ao Memorial da Guerra. Entretanto, o hospital confirmou a entrada de três feridos em consequência dos tiroteios. 

O ataque no Memorial terá sido o primeiro. Depois, o suspeito foi visto a fugir do local em direção aos edifícios governamentais, onde mais tiros foram disparados. 

José Moreira da Cunha confirmou que «a polícia, com algum aparato, fechou alguns edifícios públicos», nomeadamente o parlamento e alguns ministérios q ue se encontram nessa zona e que «a zona do centro de Otava foi também encerrada». 

O embaixador reconhece que a cidade está «paralisada» e que «há alguma tensão», mas tranquiliza os portugueses e as famílias, declarando que «o Canadá é um país extremamente seguro» e que «existe uma grande confiança no papel da polícia». 

O relato deste acontecimento surge apenas dois dias depois de um muçulmano convertido ter atropelado dois soldados canadianos, vitimando um deles mortalmente, perto de Montreal, mas o embaixador rejeita uma associação entre os dois incidentes, considerando essa análise prematura. 

«Há especulações, mas não se podem tirar ilações por agora. Há uma associação com outro incidente que ocorreu recentemente, mas julgo que não se podem tirar por agora quaisquer ilações».

José Moreira da Cunha é embaixador português em Otava desde março de 2013. A comunidade portuguesa naquele país rondará os 500 mil. A maioria dos emigrantes e lusodescendentes reside na região de Ontário.