A marinha norte-americana confirmou que os destroços encontrados, sábado, nas Bahamas, pertencem ao cargueiro “El Faro”. Um mês depois do desaparecimento da embarcação, as autoridades acreditam que vai ser difícil recuperar o navio, que se encontra no fundo do oceano, e encontrar os restos mortais dos 33 tripulantes.
 

“O navio não vai ser recuperado. A embarcação vai ficar lá. Os contentores estão demasiado fundo para fazer qualquer tipo de missão de resgate. Só se forem encontrados restos humanos é que serão feitos esforços para os recuperar”, afirmou Peter Knudsen, da NTSB, à AP.


De acordo com a CNN, a identificação do barco já foi feita pela marinha dos EUA, usando um sofisticado sonar a 15.000 pés (4.572 metros) de profundidade.

As autoridades norte-americanas acreditam que todas as pessoas que se encontravam no cargueiro, que desapareceu no dia 1 de outubro, depois da passagem do furacão "Juaquín", tenham perdido a vida.

A polícia continua a tentar encontrar a “caixa negra” da embarcação para apurar as circunstâncias do naufrágio.