A mulher egípcia considerada até agora a mais pesada do mundo perdeu metade do peso, 250 quilos, em dois meses de tratamento na Índia, anunciaram os médicos que a acompanham.

De acordo com a BBC News, Eman Ahmed Abd El-Aty, de 37 anos, pesava meia tonelada ao chegar a Bombaim, em fevereiro. De acordo com a família, a mulher foi diagnosticada com elefantíase em criança e, posteriormente, aos 11 anos, sofreu um AVC e desenvolveu doenças como diabetes, hipertensão e apneia do sono.

Assim que chegou a Bombaim, Eman fez uma dieta de líquidos, perdendo, em apenas um mês, quase 100 quilos dos 500 que pesava. Os médicos consideraram que estava preparada para a cirurgia.

Confinada, até então, a viver na cama, foi operada em março. Em vídeos divulgados pelo hospital Saifee, a paciente aparece agora sentada, pela primeira vez em muitos anos, e a sorrir.

“Ela é uma nova versão, mais feliz e mais magra, dela própria. Finalmente cabe numa cadeira de rodas e já consegue estar sentada por um longo período de tempo, algo com que nunca sonhamos há três meses atrás", explicaram os médicos do hospital Saifee, num comunicado, citado pela BBC.

A história desta mulher, que não saía de casa há 25 anos, correu mundo e comoveu um cirurgião indiano que se ofereceu para a operar.

Eman Ahmed Abd El-Aty teve muitas dificuldades em chegar à Índia por causa da saúde precária e porque as companhias aéreas não queriam aceitá-la, mas acabou por ser transportada num avião especial.

As operações de redução de peso são cada vez mais frequentes na Índia, onde a obesidade está a aumentar, sobretudo em áreas urbanas.

Com a perda de peso, Eman Ahmed Abd El-Aty terá deixado de ser a mulher mais pesada do mundo. De acordo com o livro dos recordes do Guinness esse título pertence agora à norte-americana Pauline Potter, que pesa 293,6 quilos.