Um juiz dos EUA ordenou, esta quinta-feira, ao Departamento de Estado que publique, a 13 de setembro, parte de 14.900 novos e-mails encontrados pelo FBI nos servidores pessoais que Hillary Clinton usou enquanto liderava o organismo.

Outro juiz tinha já dado ao Departamento de Estado até 23 de setembro para determinar os prazos para tornar públicos essas novas mensagens de correio eletrónico.

Todas essas datas interferem com a campanha para as eleições presidenciais, previstas para 08 de novembro, que a democrata Hillary Clinton disputa com o republicano Donald Trump.

Os `e-mails` que o magistrado William Dimitrouleas ordenou, esta quinta-feira, que sejam divulgados a 13 de setembro são os que a ex-secretária de Estado enviou durante a semana do ataque ao consulado de Bengasi (Líbia), ocorrido a 11 de setembro de 2012.

Trata-se de documentos que Clinton enviou a partir de um servidor privado de correio eletrónico enquanto era chefe da diplomacia norte-americana -- alguns com informação classificada -- e que, segundo o FBI, poderiam ter caído em mãos erradas, pelo que essa sua prática foi considerada "muito negligente".

No início da semana, o FBI descobriu aproximadamente 15.000 documentos não revelados ligados a esse escândalo dos `e-mails`.