A marinha da Colômbia anunciou esta segunda-feira ter encontrado em Chocó, na fronteira com o Panamá, três depósitos de cocaína dos guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional, alegadamente para enviar para a América Central.

O Exército de Libertação Nacional (ELN) é o segundo maior movimento de guerrilha no país, a seguir às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) que, no ano passado, assinaram um acordo de paz com o Governo do Presidente Juan Manuel Santos.

O desenrolar de operações militares pela força naval do Pacífico e marinha resultou na descoberta de três enseadas que pertencem ao ELN, nas proximidades da fronteira com o Panamá, nas quais foram encontradas aproximadamente uma tonelada e meia de cocaína”, disse o coronel da Infantaria da Marinha colombiana, Héctor Restrepo, aos jornalistas.

A operação decorreu numa praia no município de Juradó, departamento de Chocó, disseram as autoridades, que tentam descobrir o paradeiro dos rebeldes que cuidavam dos abrigos onde foi encontrada a droga.

No local foram ainda encontradas duas lanchas, nas quais os guerrilheiros do ELN pretendiam alegadamente transportar a cocaína para a América Central, de acordo com um comunicado da marinha colombiana.