O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, desafio, este sábado, a opositora Hillary Clinton a fazer um teste de doping nos próximos debates presidenciais. Trump desconfia da energia com que Clinton entrou no último debate a dois e insinua que a candidata democrata estava sob o efeito de drogas.

O republicano afirmou que Clinton estava "toda acesa" no início do segundo debate e que, no fim, "ela mal conseguia alcançar o seu carro".

Os atletas têm que fazer um teste de drogas. Acho que deveríamos fazer um teste de drogas antes do debate. Por que não fazemos isso?", questionou Trump, num discurso em Portsmouth, no estado de New Hampshire.

A candidatura de Donald Trump sofreu um duro golpe com a série de acusações de abuso sexual. A estratégia é agora afiar ainda mais o discurso e avançar com novos ataques pessoais à adversária, quando se está a apenas três dias do próximo debate a dois, que terá lugar na quarta-feira, em Las Vegas.

Trump procura também descredibilizar o processo eleitoral e ataca a imprensa norte-americana: "Hillary está na corrida a presidente no que parece ser uma eleição manipulada. Esta eleição está a ser manipulada por uma comunicação social corrupta que divulga alegações completamente falsas e mentiras completas num esforço de elegê-la presidente."

Uma recente sondagem da Reuters/Ipsos indica que Hillary está sete pontos percentuais à frente de Trump.