O presidente cessante na Colômbia, Juan Manuel Santos, foi este domingo reeleito na segunda volta eleitoral com 50,90% dos votos, de acordo com números oficiais provisórios, quando estavam contados a quase totalidade dos boletins de voto.

De acordo com a mesma contagem, quando faltava apurar menos de um por cento dos votos, Óscar Iván Zuluaga, candidato conservador, obteve 45,04% dos votos.

A vitória renhida está a ser encarada como um referendo às negociações de paz com a guerrilha das FARC, que Juan Manuel Santos, do centro direita, vinha desenvolvendo.

No poder desde 2010, aquele dirigente de centro-direita, de 62 anos, fez de um acordo de paz rápido o único lema de campanha, num país onde a pobreza atinge cerca de um terço dos 47 milhões de habitantes, apesar de um crescimento superior a 4%.

O governo de Juan Manuel Santos, que manteve em março de 2013 uma maioria relativa no parlamento, tem agora o caminho livre para concluir as negociações de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o Exército de Libertação Nacional (ELN). São as duas últimas guerrilhas em atividade na Colômbia e as mais antigas da América Latina, respetivamente com oito mil e 2.500 combatentes, de acordo com as autoridades.