As assembleias de voto abriram esta manhã em Espanha às 9:00 locais (8:00 em Lisboa) para recolher os votos dos mais de 36,5 milhões de eleitores que decidirão a distribuição dos 350 lugares do Congresso dos Deputados e dos 208 do Senado.

Nestas eleições legislativas há 22.953 assembleias de voto espalhadas por 52 subscrições para o Congresso dos Deputados e 59 para o Senado, que encerram às 20:00 (19:00 em Lisboa), exceto nas ilhas Canárias, onde todo o processo decorre uma hora mais tarde.

Cerca de 92.870 agentes das forças de segurança irão assegurar a boa ordem destas eleições, que se realizam seis meses depois das últimas.

Mas segundo as sondagens, Espanha não está a salvo de vir a ter novas legislativas dentro de pouco tempo.  Todos os estudos de opinião apontam para novo impasse, sem que nenhuma força política consiga obter maioria. 

Os líderes dos maiores partidos já votaram e apelam aos espanhóis para que participem maciçamente nesta votação.

O líder do PP, Mariano Rajoy, dado novamente como vencedor - segundo as sondagens - das eleições deste domingo, ressalvou "a tranquilidade" com que o ato eleitoral estava a decorrer e apelo à participação no mesmo:

"Quero desejar que o dia de votação decorra como decorreu até esta hora. Com tranquilidade. Gostaria de dizer a todos os espanhóis que gostam e sentem o seu o país para participarem na votação. Um voto é importante. A Espanha será o que os espanhóis quiserem que seja e terá o Governo e os deputados que os espanhóis quiserem que tenha"

Também o líder do PSOE, Pedro Sanchez, apelou a uma participação maciça:

"Apelo a todos os espanhóis e espanholas para votarem. Hoje vai decidir-se o futuro do país para os próximos quatro anos. E, por isso, peço uma participação maciça para, entre todos, decidirmos o futuro que queremos dar à Espanha"