A União Europeia pediu, na sexta-feira, para que se «respeite» a autoridade eleitoral e «a vontade do povo» de El Salvador, manifestada na segunda volta das presidenciais de domingo, cujo resultado dá uma vantagem pequena ao partido no poder.

Em comunicado, a delegação da União Europeia (UE) em El Salvador realça «a maneira eficaz e profissional» como se desenrolou tanto o dia das eleições, como a contagem provisória e definitiva dos votos, reconhecendo também »o contributo dos partidos políticos para a conduta ordenada e pacífica» que pautou as eleições presidenciais.

«Lançamos um apelo aos líderes políticos e demais atores implicados para que respeitem o trabalho destas instituições e a vontade do povo de El Salvador», assinala a UE no comunicado, citado pela agência Efe.

Oposição de El Salvador volta a protestar

A Aliança Republicana Nacionalista (ARENA), partido da oposição de El Salvador, voltou a protestar, na sexta-feira, nas ruas e apelou ao Supremo para exigir a recontagem «voto a voto» dos resultados das eleições presidenciais de domingo.

Mais de mil membros da ARENA (direita) realizaram uma marcha pacífica até às imediações do hotel de San Salvador, onde o Supremo Tribunal Eleitoral tem montado o seu centro de operações, para reiterar a sua denúncia de «fraude», após a derrota por uma margem mínima.

«Continuamos a exigir que se contem os votos um a um», disse o presidente da ARENA, Jorge Velado, que participou na manifestação com outros dirigentes e deputados do partido da oposição, que levou a cabo idênticas manifestações na terça e quarta-feira.