Marina Silva, candidata do Partido Socialista Brasileiro (PSB) às eleições presidenciais no Brasil voltou a cair nas intenções de voto. A sondagem Datafolha, divulgada esta terça-feira à noite, atribui 25 por cento das intenções de voto a Marina Silva (a mesma pesquisa atribuía-lhe 27 por cento na semana passada). De acordo com a mesma sondagem, Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores) mantem os mesmos 40 por cento das intenções de voto e Aécio Neves (Partido da Social Democracia Brasileira) sobe dos 18 para os 20 por cento.

Dilma e Marina já estiveram empatadas tecnicamente, mas as quedas da candidata do PSB têm-nas afastado. As duas candidatas estão agora com 15 por cento de diferença nas intenções de voto, com vantagem para Dilma.

A diferença entre Marina e Aécio chegou a ser de 20 por cento, mas a última sondagem Datafolha coloca-os apenas com cinco por cento de diferença: Marina com 25 por cento e Aécio com 20 por cento.

Dilma aparece então destacada nas intenções de voto, mas sem vantagem suficiente para lhe garantir a eleição à primeira volta. Se forem considerados apenas os votos válidos (excluindo os brancos e nulos, Dilma tem 45 por cento das intenções de voto.
Para ser eleito à primeira volta, um candidato precisa obter 50 por cento dos votos válidos mais um.

Simulando uma segunda volta entre Dilma e Marina, a sondagem Datafolha coloca Dilma de novo no Palácio do Planalto. A candidata do Partido dos Trabalhadores sobe dois pontos percentuais e conquistaria 49 por cento dos eleitores, contra 41 por cento de Marina Silva, que desceu dois pontos percentuais.

Uma segunda volta entre Dilma e Aécio daria também a vitória à atual presidente. Neste cenário, a sondagem Datafolha, encomendada pela TV Globo e pelo jornal «Folha de São Paulo», atribui 55 por cento dos votos válidos a Dilma Rousseff e 45 por cento ao candidato do PSDB.