O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, pediu, nesta segunda-feira, "lisura e transparência" no processo de preparação das eleições gerais de 2017, para que estas "correspondam de facto à real vontade dos eleitores".

O chefe de Estado, que em março deste ano anunciou que se retira da vida política em 2018, discursava na Assembleia Nacional, em Luanda, sobre o Estado da Nação, durante a sessão solene de abertura da quinta sessão legislativa da III legislatura, mas sem comentar o seu futuro político.

Limitou-se a começar a intervenção recordando que se deslocava ao parlamento angolano para proferir a “última mensagem sobre o Estado da Nação [obrigação da Constituição] no mandato, que decorre até 2017".

Que cada um, com o seu voto, faça livremente a escolha dos dirigentes que entendem que devem continuar a governar o país, e que não só o Estado mas também os partidos políticos, a sociedade civil, as igrejas e todos os cidadãos assumam com responsabilidade o seu papel, para que o processo seja realmente democrático, livre e decorra com normalidade e de modo exemplar", disse o Presidente angolano.