A polícia moçambicana desmantelou uma rede de traficantes de marfim responsável pela morte de pelo menos 39 elefantes, anunciou esta quarta-feira a organização não-governamental que gere o parque nacional de Niassa, no norte do país.

Seis suspeitos, moçambicanos e tanzanianos, foram detidos na reserva de Niassa durante o fim de semana, indicou a Wildlife Conservation Society (WCS), que considera a operação um golpe simbólico contra o tráfico de marfim na região, fronteiriça da Tanzânia.

Foram apreendidas 12 presas, no valor de 115.000 euros.