Houve alertas de fumo a bordo do avião EgyptAir que fazia a ligação entre Paris e o Cairo e se despenhou no Mar Mediterrâneo. A informação é avançada pela CNN, que cita uma fonte egípcia.

A CNN adianta que os dados foram obtidos pela Aircraft Communications Addressing and Reporting System (ACARS), um sistema que compila mensagens trocadas entre aviões e os serviços em terra.

As causas do despenhamento que matou 66 pessoas ainda não foram confirmadas, embora as autoridades egípcias adiantem que se suspeita de terrorismo. Mas, até agora, ainda não houve reivindicação.

O ACARS adianta que foi detetado fumo e calor numa janela junto aos lavatórios mesmo atrás do cockpit.

“Se houvesse fogo a bordo do aparelho, na área que a ACARS indica, então é porque alguma coisa perto do cockpit. Pode ter havido um problema mecânico, uma qualquer falha, um curto-circuito. Mas também pode ter sido um dispositivo incendiário”, analisa David Soucie, um especialista ouvido pela CNN.

O especialista sublinha também que é significativo que os dados tenham sido transmitidos durante um período de um a dois minutos: “Se fosse uma bomba tradicional… teria rebentado com a fuselagem do avião. Isso é uma indicação de que tal não aconteceu, porque uma bomba faria isso instantaneamente e esses dados não seriam transmitidos durante dois minutos, como aconteceu.”

          VEJA TAMBÉM

As autoridades do Egito encontraram, esta sexta-feira, destroços do avião da Egyptair que se despenhou no Mar Mediterrâneo, na quinta-feira, a cerca de 290 quilómetros da cidade costeira de Alexandria.

Em comunicado, a marinha informou esta sexta-feira que também foram encontrados pertences dos passageiros e que, agora, está a passar a zona a pente fino em busca da caixa negra do aparelho. A caixa negra do aparelho poderá dar pistas cruciais sobre as causas da tragédia.