Sete pessoas morreram, esta terça-feira, em confrontos entre opositores e apoiantes do presidente do Egito, Mohamed Morsi, que se manifestam no Cairo. A notícia é avançada pela agência France Presse, que cita fontes médicas.

De acordo com a agência Reuters, os confrontos, que tiveram lugar no bairro de Guizeh, fizeram ainda dezenas de feridos, alguns atingidos a tiro com gravidade.

Os que apoiam Morsi e os que exigem a demissão do Presidente, que é um antigo dirigente da Irmandade Muçulmana, convocaram esta terça-feira novas manifestações, que contaram com milhares de participantes. Os protestos acontecem na véspera de expirar o ultimato dado pelos militares ao chefe de Estado. Também há tumultos noutros bairros da periferia no Cairo e na província de Beheira.

Os militares deram, na segunda-feira 48 horas, a Morsi para «responder às reivindicações do povo» e disseram que se isso não acontecer vão apresentar «um roteiro» para a saída da crise.

A oposição viu este ultimato como um apoio para a demissão de Morsi, acusado de querer instaurar um regime autoritário favorável à Irmandade Muçulmana.