Mohamed Morsi, o presidente egípcio deposto e detido pelo Exército no início de julho, vai processar judicialmente os autores do que considera ter sido um «golpe de Estado», anunciou esta quarta-feira o seu advogado.

«O presidente planeia acionar medidas legais contra o golpe e isso vai ser feito pela equipa de defesa num futuro próximo», disse o advogado, Mohamed al-Damati.

«Queixas vão ser apresentadas ao procurador-geral. (...) O que aconteceu foi crime», acrescentou.