O julgamento de Mohamed Morsi, o presidente egípcio deposto e detido pelo Exército no início de julho, foi adiado por causa do mau tempo.

A audiência foi remarcada para dia 1 de fevereiro depois de Morsi não ter conseguido chegar ao tribunal.

Segundo a imprensa local, o mau tempo impediu a saída do helicóptero que levaria o presidente da prisão de Burg Al Arab, em Alexandria, até à Academia da Polícia, na periferia do Cairo, onde foi instalada um tribunal para julgar os militantes da Irmandade Muçulmana.

Mohamed Morsi está a ser julgado por incitar à violência e é acusado pela morte de manifestantes durante os protestos ocorridos perto do palácio presidencial, no Cairo, a 5 de dezembro de 2012.