Uma jornalista morreu esta sexta-feira em confrontos no Cairo, Egito, entre apoiantes da Irmandade Muçulmana e o exército egípcio.

Mayada Ashraf, que trabalhava para o jornal «Al-Dustour», foi uma das três vítimas dos distúrbios. Estava a fazer a cobertura do aconteciment0 quando foi atingida de acordo com testemunhos dados a uma agência local e citados pela CNN.

O tiro acabou por ser fatal e quando a ambulância chegou já não havia nada a fazer.