As autoridades egípcias interromperam, esta quinta-feira, a circulação em várias linhas do metropolitano do Cairo depois de dois engenhos explosivos terem sido encontrados junto aos carris numa estação do sul da capital.

Fontes dos serviços de segurança citadas pela agência AFP indicaram que os engenhos não deflagraram e as autoridades enviaram equipas peritas em explosivos para o local estando agora a investigar as linhas à procura de outros engenhos.

Também nos arredores do Cairo, um oficial da polícia egípcia morreu, esta quinta-feira de madrugada, durante uma operação que as forças de segurança do país lançaram na localidade de Kerdasa, revelou a agência MENA.

A operação visa capturar elementos considerados terroristas e além do agente morto provocou também já um ferido entre os militares. Helicópteros sobrevoam a povoação enquanto no solo militares e polícias que patrulham a zona e fazem buscas.

Pouco antes do início da operação, as forças de segurança cercaram com veículos blindados os acessos e as saídas de Kerdasa, palco de um massacre contra o posto da polícia a 14 de agosto, quando os seguidores do ex-Presidente Mohamed Morsi foram desalojados à força das praças em que se manifestavam.

De acordo com a agência Efe, o dispositivo de segurança conseguiu aplicar rapidamente o bloqueio sobre a pequena cidade dos arredores do Cairo depois da entrada em vigor do recolher obrigatório imposto a partir das 23:00 locais (22:00 em Lisboa).