Uma missão de arqueólogos suecos descobriu um conjunto de 40 sepulturas com ossadas que datam da XVIII dinastia faraónica (1295-1186 a.C.), na cidade monumental de Asuán, no sul do Egito.

O diretor do departamento de Egiptologia do Ministério das Antiguidades, Mohamed Afifi, destacou hoje, em declarações à agência espanhola Efe, a importância da descoberta dos ossos de homens, mulheres e crianças de diversas idades, nas montanhas Al Silsila.

Sem ter em conta a quem pertencem, esta descoberta revela a presença de atividade humana nesta zona”, sublinhou Afifi, que indicou que rapidamente será determinada a identidade dos enterrados.