As forças de segurança egípcias mataram o líder e três membros do movimento fundamentalista islâmico Ansar Beit al-Maqdess, baseado no Sinai egípcio e que diz inspirar-se na rede terrorista Al-Qaeda.

Vários altos dirigentes confirmaram a morte de Shadi el-Menei, considerado líder do Ansar Beit al-Maqdess (Partidários de Jerusalém), que lançou uma série de ataques contra as forças de segurança após a destituição do Presidente islamista Mohamed Morsi pelo exército, a 3 de julho de 2013.

No ano passado, o Ansar Beit al-Maqdess reivindicou vários ataques, incluindo o atentado em setembro contra a comitiva do ministro do Interior, mas do qual o governante saiu ileso.