AS companhias aéreas EasyJet e Monarch anunciaram esta quinta-feira que vão realizar dez e cinco voos, respetivamente, para Sharm el-Sheik na sexta-feira com o objetivo de repatriar turistas retidos desde a interrupção dos voos pelo Governo britânico.

Um porta-voz indicou que as autoridades britânicas trabalham todo o dia com as companhias aéreas e as autoridades egípcias para tentar restabelecer os voos entre aquele local turístico do Egito e o Reino Unido o mais rapidamente possível.

Em comunicado, a EasyJet anunciou que o “governo (autorizou) as companhias aéreas britânicas a enviarem aviões a Sharm el-Sheik a partir de sexta-feira para repatriar clientes”.

O Reino Unido acredita que a queda do avião russo na península de Sinai, no sábado, foi causada por um engenho explosivo e, como medida de precaução, decidiu suspender todos os voos de Sharm al-Sheikh, no Egito, para a Grã-Bretanha até uma equipa de peritos analisar as condições de segurança.

O avião russo com 224 pessoas a bordo despenhou-se a 31 de outubro, na península do Sinai, Egito, após descolar da localidade turística de Sharm El Sheikh. Não houve sobreviventes.