Cinco polícias egípcios foram mortos a tiro por um grupo de homens, esta sexta-feira, num checkpoint da cidade de Gizé, a 20 km da capital, Cairo. Os polícias, segundo a televisão estatal egípcia, faziam parte de um posto de controlo que fazia guarda a Saqqara, um sítio arqueológico visitado por milhares de turistas todos os dias. 

Os atacantes dispararam contra os polícias colocando-se em fuga logo de seguida. As autoridades egípcias afirmam que os ataques podem ter sido orquestrado por uma célula do Estado Islâmico que, nas últimas semanas, têm levado a cabo diversos ataques nesta zona do vale do Nilo. No passado dia 7 de julho, este grupo terrorista matou pelo menos 21 soldados. 

O Egito tem intensificado os combates para reprimir um grupo jihadista do Estado Islâmico, com sede na Península do Sinai. No início desta semana, o ministério do interior disse que a polícia matou seis militantes de Estado Islâmico num tiroteio no sul do Egito.

Desde que, em 2013, o regime se Moahmed Morsi foi derrubado o Egipto tem sido palco de diversos ataques sobre polícias e turistas. Além da célula do Estado Islâmico no Sinai, um grupo denominado Hasam atacou tem atacado turistas e polícias em todo o território egípcio.