Um jornal russo, crítico do presidente Vladimir Putin, está entre os nomeados para o prémio Nobel da Paz 2015, juntamente com o ex-analista da CIA, Edward Snowden, o Papa Francisco e um padre italiano que ajudou milhares de imigrantes Africanos.

O Instituto Norueguês do Nobel não revela os nomes dos nomeados, mas alguns especialistas noruegueses compilam listas baseadas em tendências.

Ainda que o comité tenha assinalado o aniversário do bombardeamento de Hiroshima (1945) a cada 10 anos, este ano a especulação dos especialistas não inclui essa possibilidade.

O Papa Francisco foi nomeado por lutar pela justiça social e preocupações com o ambiente, enquanto o ex-analista da CIA, Edward Snowden, por ter divulgado a vigilância eletrónica em massa realizada pela agência norte-americana NSA.

Para Kristian Berg Harpviken, o chefe do Instituto de Investigação da Paz, em Oslo, o favorito parece ser, porém, Mussie Zerai, um padre vindo da Eritreia, que reside em Itália, e que já ajudou milhares de imigrantes africanos que arriscam a vida no Mediterrâneo para chegar à Europa.

Em segundo, o especialista coloca o «Novaya Gazeta», um jornal russo conhecido por criticar o presidente Vladimir Putin e por expor casos de corrupção.

Harpviken diz que o prémio poderá focar-se na questão da liberdade de expressão, depois do ataque ao jornal satírico francês, «Charlie Hebdo», apesar de não acreditar na escolha da publicação para vencer, uma vez que muitos muçulmanos se opõem à sua existência.