A revista norteamericana Newsweek voltou a ter edição em papel, depois de uma interrupção de mais um ano, periodo em que teve apenas a versão eletrónica.

A Newsweek, que interrompeu a edição em papel em janeiro de 2013, regressou com uma tiragem de 70.000 exemplares, que se venderam a 7,99 dólares cada.

Em 2012, a sua tiragem era de aproximadamente 1,5 milhões, menos de metade que nos seus melhores anos, há duas décadas, em que a tiragem rondava os 3,3 milhões de exemplares semanais.

A edição desta sexta-feira da Newsweek destaca na capa uma reportagem que desvenda que Satoshi Nakamoto, um engenheiro dos Estados Unidos de origem japonesa, é o fundador dos protocolos informáticos que sustentam a moeda virtual «bitcoin», algo que o próprio desmentiu.

A reportagem, publicada na quinta-feira na versão digital, foi criticada nas redes sociais por alegadamente pôr em perigo o criador da divisa devido às recentes quebras de empresas que trabalhavam com «bitcoins».

A Newsweek publicou-se pela primeira vez a 17 de fevereiro de 1933 e desde então tornou-se numa das revistas de atualidade mais importantes nos Estado Unidos e a nível mundial, em concorrência direta com a revista Time.

A publicação foi adquirida em 1961 pela familia Graham, editora do diário The Washington Post, e mudou de proprietário duas vezes nos últimos dois anos.

Em 2010 foi vendida pelo preço simbólico de um dólar à empresa IAC/Active Corp, que a fundiu com a empresa de informação na Internet The Daily Beast e encerrou a sua edição em papel no final de 2012 para compensar as perdas.

Entretanto, a IBT Media, um grupo de comunicação especializado em publicações digitais, comprou a Newsweek em agosto passado e conseguiu nos últimos meses triplicar o seu movimento na internet, de tal modo que decidiu devolver a revista aos quisques.