A Rússia e a Ucrânia chegaram hoje, em Bruxelas, a um acordo para o abastecimento de gás até final de março, que garante o fornecimento aos mercados da União Europeia, informaram fontes diplomáticas.

«Tranquiliza-me que o abastecimento de gás aos mercados da União Europeia continue seguro», reconheceu em comunicado o vice-presidente da Comissão Europeia para as questões energéticas, Maros Sefcovic.


No encontro, que teve início às 15:00 de Lisboa e que decorreu durante cinco horas, estiveram presentes o ministro da Energia russo, Alexandr Novak, e o seu homólogo ucraniano, Vladimir Demchyshyn.

A alta representante da União Europeia, Federica Mogherini, disse que o resultado da reunião de hoje “pode ajudar a ultrapassar as diferenças sobre o abastecimento de gás entre a Ucrânia e a Rússia”, sublinhando que os esforços são parte da ajuda concreta da União Europeia à aplicação dos Acordos de Minsk.

Os novos problemas entre a Rússia e a Ucrânia surgiram no passado dia 19, quando Moscovo começou a fornecer combustível às regiões de Donetsk e de Lugansk, alegando que Kiev impediu o transporte de combustível para os enclaves pró-russos.

A interrupção do abastecimento de gás preocupa a União Europeia dependente das importações do gás russo (39 por cento do consumo) e Ucrânia como país de trânsito de combustível.