O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, afirmou este domingo que uma eventual saída do Fundo Monetário Internacional (FMI) das negociações sobre o resgate da Grécia não vai impedir um acordo com os credores europeus.


"Não ficaria surpreendido se o FMI fizer exigências inaceitáveis que sabe bem que a Grécia não pode aceitar para justificar a sua saída das negociações", afirmou Varoufakis em entrevista à Realnews, citada pela AFP.


O governante grego acrescentou, no entanto, que uma eventual saída da instituição liderada por Christine Lagarde das negociações com Atenas "não vai impedir um acordo apenas entre Atenas e os [credores] europeus", a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu.

O vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, alertou hoje que a Europa está a perder a paciência com a Grécia, numa altura em que Atenas tenta chegar a um acordo com os credores internacionais para evitar um incumprimento de pagamentos.

"Nós queremos ajudar a Grécia e mantê-la na zona euro. Mas o tempo começa a escassear e, em toda a Europa, a paciência também", escreveu Sigmar Gabriel num comentário transmitido pelo jornal Bild, citado pela agência noticiosa AFP.

"Por toda a Europa, há um sentimento crescente: já chega", cita a Lusa.