O Fundo Monetário Internacional voltou esta quinta-feira à noite a pressionar a Europa, para aliviar a divida publica grega. O FMI insiste que a economia grega só pode tornar-se sustentável, se parte da divida for perdoada.

A chefe da missão do FMI para a Grécia garantiu que o Fundo Monetário Internacional se compromete a dar financiamento extra, caso os parceiros europeus aceitem aliviar a divida grega que estará nesta altura a rondar os 200% do PIB.

Através de um comunicado o FMI fez saber que vai esperar por “decisões” dos europeus sobre a redução da dívida da Grécia antes de decidir participar num novo resgate ao país.

“Esperamos trabalhar com as autoridades [gregas] para desenvolver o programa [de reformas] com mais detalhes e que os parceiros europeus da Grécia tomem decisões sobre o alívio da dívida para permitir que se torne sustentável”, lê-se, no comunicado divulgado na sua página na internet.

Da Grécia aguarda-se a votação do memorando pelo parlamento grego, que ainda decorre.

O Eurogrupo vai reunir-se esta sexta-feira para tentar viabilizar o acordo alcançado na terça-feira entre a Grécia e os credores internacionais para um terceiro resgate. 

O acordo alcançado na terça-feira garante ao país o financiamento de cerca de  85 mil milhões de euros durante três anos.