O governo grego substituiu, esta sexta-feira, três ministros, um deles adjunto, e o porta-voz do governo depois da votação polémica de quarta-feira, onde 40 deputados do Syriza votaram contra a aprovação do acordo com os credores internacionais, que vai garantir o terceiro resgate à Grécia.

Segundo a Reuters, o ministro do trabalho, Panos Skourletis, passa a ministro da Energia, substituindo Panagiotis Lafazanis, considerado uma das vozes mais fortes do não.

Com a pasta do Trabalho fica George Katrouglos, até aqui ministro-adjunto para a Reforma Administrativa. Christophoros Vernardakis ocupa a posição deixada por Katrouglos.

Tryfon Alexiadis foi nomeado ministro-adjunto das Finanças, substituindo Nadia Valavani, que se demitiu no início da semana.

Christoforos Vernardakis passa a ministro-adjunto da Defesa.
 
Olga Gerovasili substitui  Gabriel Sakellaridis como porta-voz do governo.

Já o ministro das Finanças, Euclid Tsakalotos, mantém o cargo assumido a 6 de julho.

A Comissão Europeia anunciou um acordo entre os Estados-membros da União Europeia sobre um empréstimo intercalar à Grécia, que garante que 7 mil milhões de euros chegarão a Atenas na segunda-feira, a tempo de prevenir um incumprimento. 

Em conferência de imprensa, o vice-presidente da Comissão responsável pelo euro, Valdis Dombrovskis, confirmou um “ acordo sobre o financiamento-ponte para a Grécia, baseado no empréstimo do EFSM (Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira)”, no qual participam os 28 Estados-membros da União Europeia.