Uma febre hemorrágica de «origem indeterminada» matou 13 pessoas no noroeste da República Democrática do Congo desde 11 de agosto, informaram as autoridades do país.

«Treze pessoas morreram de uma febre hemorrágica de origem indeterminada. Todas tinham febre, diarreias, vómitos e, numa fase terminal, vomitavam substâncias negras», disse na noite de quinta-feira o ministro da Saúde da RD Congo, Félix Kabange Numbi.

Até ao momento, 80 pessoas que estiveram contacto com a doença foram admitidas no hospital, indicou o mesmo responsável, citado pela agência AFP.

Ébola: coordenador da ONU quer estruturas preparadas para enfrentar

O coordenador das Nações Unidas para o combate ao Ébola, David Nabarro, disse pretender que as estruturas sanitárias da organização estejam em condições de enfrentar uma acentuada deterioração da doença, caso «seja necessário».

David Nabarro falava quinta-feira no início da sua digressão pelos países africanos afetados pelo vírus.

«O que estou determinado a fazer é assegurar que qualquer elemento do nosso dispositivo esteja em condições ótimas para enfrentar um surto, caso seja necessário», declarou David Nabarro à Agência France Press, durante uma escala no aeroporto de Conacri, com destino a Monrovia.