Um funcionário da Cruz Vermelha morreu na sequência dos combates em Donetsk, na Ucrânia. O aeroporto da cidade está outra vez em risco de cair nas mãos dos separatistas pró-russos.

Nos últimos dias os separatistas não têm dado descanso aos homens de Kiev. As tropas ucranianas mal resistem. Na segunda-feira sofreram pesadas baixas: sete soldados morreram. Os rebeldes dizem que controlam 95 por cento do território em redor de Donetsk e que a queda do aeroporto é uma questão de horas.

Enquanto a NATO denuncia a presença de centenas de tropas russas em território ucraniano, incluindo forças especiais, o presidente Putin fala em laços fraternos com o país vizinho.

Já para Kiev, os bombardeamentos ao aeroporto de Donetsk são uma flagrante violação do acordo de cessar-fogo de 5 de setembro.

Até agora, desde abril, quando rebentou o conflito no leste da Ucrânia entre separatistas pró-moscovo e forças governamentais morreram mais de 3.500 pessoas.