A União Europeia não vai reconhecer os resultados dos «pretensos referendos» sobre a independência de Donetsk e Lugansk promovidos pelos separatistas russos, disse este domingo uma porta-voz de Catherine Ashton.

De acordo com a porta-voz da chefe da diplomacia europeia, os «pretensos referendos foram ilegais» e por isso os resultados não vão ser reconhecidos.

Aqueles que organizaram a votação «não têm legitimidade democrática» e a «organização a que pertencem é contrária aos objetivos da declaração conjunta de Genebra que pretende atenuar a tensão», acrescentou Maja Kocijancic, a porta-voz de Catherine Ashton.

A votação no referendo pró-russo ultrapassou os 80% em Lugansk e os 50% em Donetsk, divulgaram hoje ativistas pró-russos das duas regiões do sul da Ucrânia.

«Mais de 50% já votaram [na região de Donetsk]. Recebemos os dados do distrito Krasnolimanski: ali [a participação] superou os 70%», disse aos jornalistas Román Liaguin, chefe da comissão eleitoral da autoproclamada República Popular de Donetsk.