Duas mulheres disseram na quarta-feira ao jornal The New York Times que foram vítimas de abusos do candidato à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump, que já negou as acusações.

As denúncias relatam um caso ocorrido há mais de três décadas, num avião, e outro em 2005, num elevador.

Jessica Leeds, atualmente com 74 anos, disse ao jornal norte-americano que Donald Trump viajou com ela num avião, em primeira classe, e que a apalpou, poucos minutos após a descolagem e sem que se conhecessem.

"Era um polvo", disse, sublinhando que "foi uma agressão" e que quando o empresário lhe tocou se levantou e mudou de lugar no avião para se afastar do candidato à Casa Branca nas eleições de novembro.

O segundo relato é de Rachel Crooks, que conta que, em 2005, se apresentou ao empresário quando os dois entraram no mesmo elevador da Torre Trump, em Nova Iorque, dado que a empresa em que trabalhava tinha negócios com o milionário.

Rachel Crooks diz que a resposta de Trump foi beijá-la na boca, naquilo que considera ter sido uma violação.

Segundo o The New York Times, Trump foi informado na terça-feira sobre estes relatos e negou que sejam verdadeiros. Após a publicação destes casos, um porta-voz da campanha do magnata considerou o artigo de "ficção" e acusou o jornal de "lançar uma difamação coordenada e completamente falsa" contra o candidato à Casa Branca.

Para além destes dois casos, uma terceira mulher da Florida relatou na quarta-feira a um jornal local que Trump a apalpou em 2003, quando o milionário tinha a seu lado Melania Trump, com quem depois casou.