O presidente norte-americano, Donald Trump, resolveu arrasar um restaurante localizado no estado da Virgínia que recusou servir a sua assessora de imprensa, Sarah Huckabee Sanders. Usou, como habitualmente, a sua conta de Twitter para dizer que o estabelecimento se devia concentrar na limpeza dos seus toldos e portas "imundos".

Trump escreveu que o restaurante The Red Hen em Lexington, Virgínia, se devia "concentrar mais em limpar os seus toldos, portas e janelas (que precisam muito de uma pintura) imundos em vez de recusar servir uma pessoa boa como Sarah Huckabee Sanders".

Donald Trump, um assumido misófobo (uma pessoa com medo do contacto com a sujidade e os germes), escreveu ainda que "se um restaurante está sujo por fora, está sujo por dentro" e afirmou preferir as cadeias de fast-food porque confia mais nesses restaurantes

Contudo, as imagens do restaurante, a três horas de carro de Washington, não revelam falta de manutenção, mostrando toldos verdes limpos e portas com acabamentos brancos.

Sarah Sanders disse no Twitter que foi convidada a sair pela dona do restaurante, na passada sexta-feira, porque trabalhava para Trump, declarando que tinha saído de forma "polida".

A co-proprietária do restaurante, Stephanie Wilkinson, não respondeu esta segunda-feira aos pedidos para comentar o caso. Disse, ainda assim, ao jornal The Washington Post que os seus motivos para expulsar Sanders tinham a ver com a preocupação com os seus empregados: eram homossexuais e sabiam que Sanders defendia a intenção de Trump impedir as pessoas transgénero de servirem no exército.