Trump fez estas declarações numa entrevista ao canal televisivo NBC, acrescentando que rescindirá as ordens do atual Presidente, Barack Obama, que impedem a expulsão dos jovens indocumentados que chegam ao país, assim como os pais de cidadãos norte-americanos ou filhos com estatuto legal.

“Manteremos as famílias unidas, mas têm que se ir embora”, sublinhou o magnata do imobiliário, numa entrevista gravada no seu avião particular, durante uma visita, este fim de semana, à feira Estadual de Iowa. “Trabalharemos com eles. Tem de ir-se embora. Ou temos um país ou não temos um país”, disse o multimilionário.

Depois da entrevista, Trump publicou na sua página de candidatura na Internet o programa da sua reforma migratória, no qual sublinha que “uma Nação sem fronteiras não é uma Nação” e defende a construção de um muro na fronteira com o México.

Esta não é a primeira vez que Donald Trump recorre ao discurso contra a imigração. Em julho, Trump aproveitou a fuga da prisão de um dos maiores narcotraficantes mexicanos para reforçar o seu discurso anti-imigração. O candidato republicano afirmou que a fuga de Joaquin “El Chapo” Guzman comprova a corrupção do país vizinho e defendeu que devia existir uma barreira mais consistente entre os EUA e o México.