O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, extinguiu uma comissão que tinha criado para investigar alegadas fraudes eleitorais nas presidenciais de 2016, anunciou a Casa Branca na quarta-feira à noite.

A iniciativa presidencial deparou-se com a recusa de vários estados em fornecer as informações exigidas pela comissão para realizar a investigação.

Trump ganhou as presidenciais de novembro de 2016 com a maioria dos votos dos grandes eleitores, mas a candidata democrata Hillary Clinton obteve mais votos populares, cerca de três milhões.

"Apesar das provas substanciais de fraude eleitoral, vários estados recusaram fornecer à comissão presidencial sobre integridade eleitoral as informações elementares", que tinham sido pedidas, lamentou Trump, em comunicado

"Ao invés de me lançar numa batalha jurídica sem fim e às custas do contribuinte, assinei hoje [quarta-feira] um decreto para extinguir a comissão e pedi ao departamento de Segurança Interna para avaliar esta questão e determinar o rumo a seguir", disse.

Vários estados norte-americanos rejeitaram os pedidos desta comissão sobre "integridade eleitoral" e alegaram que os dados pedidos podiam ser utilizados para privar alguns eleitores do direito a votar.

As informações pedidas pela comissão abrangiam vários dados, do número de segurança social a um histórico de votos.