O presidente norte-americano, Donald Trump, elogiou esta segunda-feira a linha política assumida pelo atual governo de Itália em matérias migratórias, afirmando que outros países europeus deviam adotar a mesma “posição firme” e seguir o exemplo de Roma.

Trump falava no início de um encontro com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, que hoje foi recebido na Casa Branca, em Washington.

Conte é o líder da atual coligação governamental italiana (que tomou posse no passado dia 01 de junho) que integra o partido de extrema-direita nacionalista Liga e o Movimento 5 Estrelas (M5S, populista).

É um homem que fez um trabalho formidável”, afirmou o Presidente dos Estados Unidos, numa referência à atual postura política do governo de Roma em matérias migratórias.

Sei que ele tem uma posição firme na fronteira”, prosseguiu Trump, defendendo que “muitos outros países na Europa deviam fazer o mesmo”.

Linha dura

O atual governo italiano tem adotado uma linha dura contra as migrações.

Por exemplo, o executivo de Roma decidiu bloquear, ao longo das últimas semanas, o acesso aos portos italianos a vários navios de organizações não-governamentais (ONG) que estão envolvidas no resgate de migrantes no mar Mediterrâneo.

A Itália é um importante aliado na NATO, parceiro eminente no Afeganistão e no Iraque e é crucial para trazer estabilidade na região do Mediterrâneo”, indicou uma nota informativa divulgada em finais de junho passado pela Casa Branca quando anunciou a visita de Conte a Washington.

Nesse mesmo mês, durante a última reunião do G7 (grupo das sete maiores economias do mundo) no Canadá, Trump já tinha qualificado o atual primeiro-ministro italiano como “super”.

Ele é muito firme em relação à imigração, como eu”, afirmou na altura Donald Trump, que deseja construir um muro na fronteira com o México para combater a imigração ilegal e que adotou uma política migratória de “tolerância zero” que permitiu separar crianças menores indocumentadas dos respetivos pais, igualmente indocumentados, na fronteira entre os Estados Unidos e o território mexicano.