O pré-candidato republicano às eleições presidenciais dos EUA, Donald Trump, voltou a insultar os seus concorrentes, Ted Cruz e John Kasich, desta vez pela aliança que os dois fizeram para tentar impedi-lo de alcançar o número de delegados necessários para obter a nomeação do partido (1.237).

Ted Cruz e John Kasich anunciaram que não iam fazer campanha em alguns Estados, de forma a não dividir votos. Kasich prometeu não concorrer no Estado do Indiana, cujas primárias se realizam a 3 de maio, enquanto Cruz prometeu deixar de lado o Oregon (17 de maio) e o Novo México (7 de junho).

Trump apelidou ambos os candidatos de “patéticos”, e mostrou-se confiante que a aliança de ambos não será suficiente para o derrotar.

Isto mostra o quão fracos eles são, mostra o quão patéticos são. São precisos dois homens, uma união de políticos de longa data, para tentar derrotar Trump, e ainda assim estão bastante atrás”, disse Donald Trump, segundo o Wall Street Journal.

O pré-candidato disse que uma aliança como esta só é possível porque a política é um “negócio corrupto”, que permite “conspirar”.

Por se tratar de um sistema fraudulento, por ser um negócio corrupto, em política é permitido conspirar, e por isso eles conspiraram”.

Polémico como sempre, Trump aproveitou, ainda, para partir para o lado pessoal, atacando os dois pré-candidatos, mas também a pré-candidata democrata, Hillary Clinton.

Eu vou vencer a Hillary Clinton, a vigarista da Hillary, vou vencê-la por muito. O mentiroso do Ted Cruz não consegue vencê-la, e o Kasich… Já o viram? Ele dá uma conferência de imprensa sempre que está a comer. Nunca vi um ser humano comer de forma tão repugnante”, acrescentou.

Esta terça-feira, democratas e republicanos enfrentam um novo desafio rumo à nomeação, tentando alcançar o maior número de Estados em cinco possíveis: Connecticut, Delaware, Maryland, Pennsylvania e Rhode Island.