A corrida à Casa Branca tem dominado a atualidade dos Estados Unidos e há várias personalidades norte-americanas a entrarem no debate sobre as presidenciais, assumindo as suas posições políticas. Agora foi o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, quem se juntou à discussão e deixou farpas a um alvo muito preciso: Donald Trump.

Foi durante uma conferencência sobre tecnologia em São Francisco, esta terça-feira, que o dono do Facebook decidiu atacar o aspirante a candidato pelo Partido Republicano.

“Ouço vozes com medo a apelarem à construção de muros. É preciso coragem para escolher a esperança em detrimento do medo. Em vez de muros devemos construir pontes.”

Mark Zucherberg não referiu diretamente Trump, mas a referência é clara: o magnata norte-americano defendeu a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. De resto, o aspirante a candidato presidencial tem como uma das suas bandeiras políticas travar a imigração ilegal.

Pelo contrário, Mark Zuckerberg já manifestou por diversas vezes que defende o acolhimento de migrantes nos Estados Unidos. Ainda no mês passado, o CEO do Facebook assinou, juntamente com outros líderes de empresas tecnológicas, uma carta que pedia que as crianças sem documentação legal no país não fossem deportadas e que foi enviada para o Supremo Tribunal norte-americano.

O ataque a Trump não é, por isso, de estranhar. Durante a sua intervenção na conferência, que tinha como mote o futuro da rede social, Zuckerberg  sublinhou que as vidas humanas "estão ligadas" e que é preciso "coragem" para se perceber que o caminho certo passa por "juntar as pessoas e não por afastá-las". 

“As nossas vidas estão ligadas. Seja quando estamos a receber um refugiado que foge da guerra, seja quando estamos a receber um imigrante que está à procura de uma nova oportunidade. Seja quando estamos a combater uma epidemia à escala mundial como o Ébola ou quando combatemos as alterações climáticas, temos de ter coragem de perceber que o caminho certo é juntar as pessoas e não afastá-las."