O ministério iraniano dos serviços secretos confirmou que os cinco terroristas responsáveis pelos ataques em Teerão lutaram pelo grupo Estado Islâmico em Mossul e Raqa, avança a AFP.

O ministro revelou ainda que os cinco homens eram iranianos e que se juntaram ao grupo islâmico no verão passado.

Os cinco terroristas, depois de se juntarem ao grupo terrorista, deixaram o país para para participarem de crimes levados a cabo pelo Estado Islâmico em Mossul e Raqa", afirmou o ministro em comunicado.

Esta quinta-feira, o diretor do Instituto de Medicina Legal do Irão, atualizou o número de vítimas através de um comunicado. Segundo Ahmad Shoyai, o número de vítimas mortais do duplo atentado do Estado Islâmico subiu para 17, visto que cinco dos feridos não resistiram à gravidade dos ferimentos.

O responsável pelo Instituto de Medicina Legal, acrescenta que 13 corpos foram já identificados.

Segundo o diretor dos Serviços de Emergência de Teerão, Pir Hosein Kolivand, o número total de feridos ultrapassa a meia centena, sendo que a maior parte encontram-se ainda internados nos cuidados intensivos dos hospitais da capital do Irão.

Irão qualifica de “repugnante” reação de Trump

O chefe da diplomacia do Irão qualificou de “repugnante” a reação aos atentados de Teerão por parte do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que os países que apoiam o terrorismo arriscam-se a ser vítimas dele.

Teerão foi palco, na quarta-feira, de atentados sem precedentes, que fizeram 12 mortos, e cuja autoria foi reivindicada pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O comunicado da Casa Branca e as sanções do Senado são repugnantes numa altura os iranianos estão a enfrentar o terrorismo apoiado pelos clientes dos americanos", escreveu o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif, na sua conta na rede social Twitter.

"O povo iraniano rejeita tais declarações de amizade por parte dos Estados Unidos", ironizou ainda o chefe da diplomacia iraniana.

Donald Trump afirmou na quarta-feira, numa breve declaração após os atentados na capital iraniana, que os países que apoiam o terrorismo, como o Irão, arriscam-se a ser vítimas dele.

Os Estados que patrocinam o terrorismo tendem a ser vítimas do mal que apoiam", afirmou o Presidente dos Estados Unidos, numa posição que contrastou com as mensagens de condolências transmitidas durante o dia pela diplomacia americana.

Vários homens armados e bombistas suicidas atacaram dois lugares altamente simbólicos da capital iraniana: o mausoléu do ayatollah Khomeini, fundador da República Islâmica, e o parlamento.