O Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou a Coreia do Norte de que está a considerar “algumas coisas bem severas” em resposta ao lançamento sem precedentes de um míssil com a capacidade de atingir os Estados Unidos.

Em visita à Polónia, antes de se deslocar à cimeira do G20, que decorre este fim de semana em Hamburgo, o Presidente dos Estados Unidos apelou ainda a todos os países para confrontarem Pyongyang com o seu “comportamento muito, muito mau”, de acordo com a agência Associated Press.

Trump vai encontrar-se em Hamburgo com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, que se tem oposto ao reforço das sanções económicas e a eventuais ações militares contra Pyongyang.

 

UE ameaça com sanções

Por sua vez, a União Europeia (UE) e o Japão consideram que a Coreia do Norte representa “uma ameaça cada vez maior” e ameaçam reforçar as sanções, segundo a declaração conjunta divulgada após a cimeira UE-Japão, que decorreu em Bruxelas esta quarta-feira.

Concordamos que a Coreia do Norte, uma prioridade de topo na agenda internacional, cada vez mais representa novos níveis de ameaça à paz e segurança internacionais”, salientam os presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

No comunicado, os três líderes condenam “nos mais fortes termos” os contínuos ensaios nucleares e o lançamento de mísseis balísticos por Pyongyang, incluindo “o recente lançamento de um míssil balístico com possível alcance intercontinental, em flagrante violação das múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU”.