Donald Trump já foi bastante criticado pelas suas opiniões controversas sobre vários assuntos, como, por exemplo, os direitos LGBT ou as alterações climáticas. Os ataques de 11 de setembro não são exceção.

No dia em que se assinalam os 16 anos de um dos dias mais negros da história dos Estados Unidos, o jornal The Independent recolheu as citações mais polémicas ditas por Trump, antes de ser presidente dos Estados Unidos, sobre os ataques do grupo terrorista Al-Qaeda, que mataram quase três mil pessoas.

11 de setembro de 2001

“O edifício 40 da Wall Street era, na verdade, o segundo prédio mais alto no centro de Manhattan… E agora é o mais alto.”

No dia do atentado às Torres Gémeas, Donald Trump, na altura um empresário milionário do setor imobiliário, deu uma entrevista à estação de rádio WWOR e decidiu gabar-se do seu arranha-céus de 71 andares, reclamando o título de edifício mais alto do centro de Manhattan.

Além disso, segundo o The Independent, pouco depois do ataque, Trump pediu 150 mil dólares (cerca de 125 mil euros) ao governo norte-americano para cobrir a “perda de rendas de aluguer” e para “reparos”.

11 de setembro de 2013

Eu gostaria de estender os meus melhores desejos a todos, até mesmo aos “haters” (que me odeiam) e aos perdedores, nesta data especial, 11 de setembro.”

 

Esta foi a maneira que Trump escolheu para marcar o segundo aniversário do 11 de setembro, no Twitter. Mais tarde acabou por eliminar a publicação, mas deixou a partilha do ‘tweet’ original.

Novembro de 2015

Eu assisti ao momento em que o World Trade Center caiu e assisti a isso em Nova Jérsia, onde milhares e milhares de pessoas estavam a festejar quando o edifício veio abaixo.”

Donald Trump disse numa manifestação, em Birmingham, no Alabama, que as pessoas celebraram o atentado às Torres Gémeas. Mais tarde, repetiu a afirmação ao apresentador da ABC News, George Stephanopoulos, acrescentando que os festejos tinham acontecido em zonas de Nova Jérsia com “grandes populações árabes”. De acordo com o The Independent, as acusações foram negadas pelo governador de Nova Jérsia, Steven Fulop, e pela polícia.

Fevereiro de 2016

O World Trade Center caiu durante o mandado do George Bush. Ele manteve-nos seguros? Isso não é seguro. Isso não é seguro.”

Num debate das primárias, o então candidato Donald Trump criticou a atuação de anteriores presidentes dos Estados Unidos em relação ao terrorismo.

O World Trade Center caiu, porque o Bill Clinton não matou o Osama Bin Laden, quanto teve hipótese de o fazer. E George Bush também teve a chance de o fazer e não ouviu os conselhos da CIA”, acrescentou Trump.

Fevereiro de 2016

Perdi centenas de amigos no 11 de setembro.”

Donald Trump disse que conhecia muitas pessoas que trabalhavam nas Torres Gémeas, mas nunca disse o nome de nenhuma delas. Para ser verdade que o atual presidente dos Estados Unidos conhecia “centenas” das quase três mil vítimas, Trump teria que conhecer um em cada 10 dos mortos dos ataques de 11 de setembro de 2001.

Março de 2016

Obrigada, doce. Isso é bom.”

Quando, durante a campanha, Trump estava a promover a abertura do seu novo hotel em Washington, uma mulher, no meio da multidão, pediu-lhe que contratasse sobreviventes do 11 de setembro para trabalharem no novo projeto. Donald Trump convidou-a a subir ao palco e prometeu-lhe um emprego. A mulher abraçou-o, deu-lhe um beijo na cara e Trump respondeu: “Obrigada, doce. Isso é bom.”

Agosto de 2016

Sob a política de Trump, as pessoas que derrubaram o World Trade Center, provavelmente, não estariam aqui (nos Estados Unidos) para o fazer derrubar.”

Num evento da campanha eleitoral, o então candidato à presidência dos Estados Unidos afirmou que teria sido muito mais inteligente na questão do terrorismo do que o seu antecessor. Quinze dos 19 sequestradores do 11 de setembro eram cidadãos da Arábia Saudita, um dos países que fazia parte da lista, elaborada por Trump, de proibição de entrada nos Estados Unidos.

Abril de 2017

São as maiores audiências para o (programa de televisão) ‘Deface the Nation’ desde o World Trade Center, desde que o World Trade Center caiu. E por uma vantagem tremenda.”

Numa entrevista à agência de notícias Associated Press sobre os primeiros 100 dias na Casa Branca, Donald Trump vangloriou-se do facto das audiências dos programas de notícias ‘Face the Nation’, dos canais Fox e CBS, onde participou serem maiores do que as registadas no 11 de setembro.