O antigo diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, afirmou hoje que as medidas impostas à Grécia vão ter “um impacto devastador” na unidade europeia.

Numa carta aberta “aos meus amigos alemães”, como refere, publicada este domingo no site do jornal francês Le Figaro, Strauss-Kahn fala da política “mortífera” levada a cabo nos últimos dias, nomeadamente pela Alemanha.

O ex-diretor-geral do FMI acusa a Alemanha de impor uma “exigência absoluta” à Grécia que pode levar a União Europeia ao seu fim e lamenta as condições que foram encontradas para o acordo com o país helénico.