Quatro séculos após a morte do ilustre autor de Dom Quixote, Miguel de Cervantes, o município de Madrid decidiu financiar investigações visando encontrar os seus restos mortais, para «reparar uma grande dívida ao príncipe das letras de Espanha».

«Encontrar o túmulo de Cervantes permitiria reparar uma grande dívida ao príncipe das letras de Espanha, talvez à figura originária de Espanha que marcou mais profundamente a história da humanidade», explicou o diretor-geral do Património Cultural da câmara municipal de Madrid, José Francisco García, citado pela agência de notícias francesa, AFP.

Publicado em duas partes, em 1605 e 1615, na primeira edição, Dom Quixote, a obra-prima de Cervantes, é muitas vezes considerado o primeiro romance moderno e é um clássico da literatura ocidental, sendo regularmente classificado como um dos melhores romances alguma vez escritos.