O Governo da Serra Leoa calcula vir a descobrir até 20 por cento mais vítimas do Ébola quando impuser o recolher obrigatório em todo o país, para encontrar doentes que têm de ir para o hospital.

O governo anunciou que a população de seis milhões deve ficar em casa, exceto em situações excecionais, durante 72 horas a partir de 19 de setembro.

Mais de 20.000 voluntários irão porta-a-porta procurar pessoas com Ébola e retirar corpos, encaminhando os doentes para os cuidados médicos.

Entretanto, a Comissão Europeia anunciou que vai organizar na segunda-feira uma reunião com vários ministros e especialistas para coordenar a ajuda que a União Europeia (UE) pode dar aos países africanos afetados pela epidemia do Ébola, informou um porta-voz.

O encontro é coorganizado pelos comissários europeus da Ajuda Humanitária, Kristalina Georgieva, do Desenvolvimento, Andris Piebalgs, e da Saúde, Tonio Borg.

«Trata-se de coordenar a ajuda no terreno e, em termos mais vastos, a resposta que a UE pode dar» à epidemia, precisou uma fonte europeia.