A socialite Kim Kardashian, a irmã Khloe e outros familiares reuniram-se esta semana com o primeiro-ministro arménio, Hovik Abrahamyan, em Erevan, na capital da Arménia. A viagem teve como principal objetivo falar sobre o genocídio que ocorreu naquele país entre 1915 e 1917.  A estrela de televisão está a ponderar trabalhar num documentário sobre o genocídio, que se deu no Império Otomano, parte da agora Turquia, e que acabou com a vida de cerca de 1,5 milhões de pessoas.

Segundo declarações, do primeiro ministro «a família Kardashian quer contribuir para a causa internacional de reconhecimento e condenação do genocídio arménio».  

O clã Kardashian irá ainda conhecer o presidente, Serzh Sarkisian, que atualmente está de viagem à Itália em visita ao Papa Francisco. A socialite publicou no Instagram uma fotografia durante a visita, com a legenda: «Os turcos vibraram hoje #Arménia».
A Turquia não se considera responsável pelos genocídios, alegando que um milhão de pessoas, metade dos quais de nacionalidade turca, morreram naquela guerra civil, sendo que oficialmente não são reconhecidos os «culpados».