Pelo menos 18 membros da oposição e ativistas cubanos foram detidos, esta quinta-feira, em Havana, a maioria quando reivindicava num centro policial a libertação de outros detidos nos últimos dias, informaram fontes da dissidência à agência EFE.

Entre os detidos figuram designadamente Antonio González-Rodiles, promotor de um projeto de debate crítico, e a sua mulher, Ailer González, confirmou a Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional (CCDHRN), liderada por Elizardo Sánchez.

A maioria dos detidos na quinta-feira deslocou-se ao centro de detenções, conhecido como Vivac, nos subúrbios de Havana, para exigir a libertação de uma dezena de ativistas, ali detidos desde 30 de dezembro, explicou Elizardo Sánchez à agência noticiosa espanhola citada pela Lusa.