A Comissão Europeia anunciou na terça-feira que está a investigar se a Disneylândia de Paris cobrou mais aos visitantes em função do seu país de residência, o que é contra as regras da União Europeia .

“Examinamos atualmente uma série de queixas, um grande número delas contra a Disneyland Paris”, declarou à AFP um porta-voz da comissão.

O diário britânico Financial Times precisou que o parque de atrações, o maior da Europa, foi acusado de ter cobrado mais aos visitantes alemães e britânicos.

O Financial Times dá o exemplo de um pacote Premium. Pelo mesmo cabaz de serviços, os consumidores franceses aparentemente pagam apenas 1346 euros, os britânicos 1870 e os alemães 2447 euros.

Ora, a confirmar-se, esta prática não é aceite pelas regras comunitárias que não permitem a discriminação em função da nacionalidade entre Estados-membros da União Europeia.