As famílias das 22 vítimas do ataque de Manchester, em que Salman Abedi fez explodir uma bomba durante um concerto da Ariana Grande, no dia 22 de maio, vão receber, cada uma, 250 mil libras (cerca de 274 mil euros) do dinheiro doado para o fundo "We Love Manchester", de acordo com o jornal The Guardian.

Entre essas famílias, estão Patrycia e Alex Kils, 12 e 20 anos, que perderam os pais no ataque. Neste caso, as irmãs receberão 500 mil libras (545 mil euros).

As 57 pessoas que passaram sete ou mais noites no hospital, em consequência dos ferimentos, receberam, até agora, 60 mil libras do fundo “We Love Manchester”, o qual se admite poderá atingir um valor entre 16 e 17 milhões de libras (17,5 e 19 milhões de euros).

De acordo com a presidente do fundo “We Love Manchester” e vice-líder do conselho da cidade de Manchester, onze pessoas ainda estão no hospital, devido ao ataque no concerto da cantora Ariana Grande. Sue Murphy disse que o fundo ainda não decidiu se esses feridos, que ficaram com lesões para o resto da vida, deverão receber mais dinheiro.

Já as 96 pessoas que passaram entre um e sete dias no hospital receberam, até agora, 3 mil e 500 libras (cerca de 4 mil euros) cada uma, mas algumas provavelmente vão receber mais, se tiverem que ser submetidas a mais tratamentos.

Há algumas áreas cinzentas, como, por exemplo, as pessoas que saíram rapidamente do hospital, mas que tiveram que voltar para novas operações”, disse Sue Murphy, citada pelo The Guardian.

A presidente do fundo “We Love Manchester” acrescentou ainda que as famílias das 22 vítimas já receberam 70 mil libras (77 mil euros), cada uma, de um total de 250 mil libras (cerca 274 mil euros) que irão receber. O resto do dinheiro deve ser entregue nas próximas semanas.

"O dinheiro é dado como um presente"

Os destinatários podem usar o dinheiro como quiserem, mas os responsáveis pelo fundo estão a aconselhar os familiares das vítimas a procurar conselhos financeiros.

O dinheiro é dado como um presente, por isso os familiares das vítimas é que decidem o que fazem com o ele”, afirmou ao The Guardian, Sue Murphy.

O dinheiro doado pelo fundo “We Love Manchester” é independente da compensação financeira dada pelo governo britânico.

Segundo a presidente Sue Murphy, o Departamento do Trabalho e Pensões assegurou que qualquer pessoa que receba dinheiro do fundo terá direito na mesma aos apoios do governo britânico.

O valor total angariado pelo fundo não será contabilizado até que todo o dinheiro prometido chegue, o que inclui os dois milhões de libras (cerca de 2,2 milhões de euros) das doações feitas através de mensagens de telemóvel, durante o concerto “One Love”, promovido pela Ariana Grande.

Apesar da campanha, Sue Murphy mostra-se desagradada por o governo não se comprometer em cobrir o custo de administração do fundo, estimado pela presidente em 450 mil libras (cerca de 493 mil euros), ou seja, 5% do total do dinheiro angariado.

Ficamos frustrados por o governo ainda não ter concordado em financiar os custos de administração. Acreditamos que os membros do público que, generosamente, responderam ao apelo do fundo "We Love Manchester", querem ver o dinheiro ser entregue diretamente às vitimas", disse Sue Murphy, citada pelo The Guardian.